150 anos do término da construção do Prédio da Câmara da Lapa

por Anderson Sossela publicado 23/04/2018 15h08, última modificação 23/04/2018 15h08
As obras tiveram inicio em 1840 e foram finalizadas em 1868

Em 2018 o Prédio da Câmara Municipal da Lapa, que abriga no seu pavimento térreo o Museu de Armas, completa 150 anos do término de sua construção. Em 1868, foi feita a conclusão das obras e a entrega das chaves do prédio ao delegado e juiz municipal, pelo responsável pelas obras finais, o engenheiro Francisco Therézio Porto. O plano de sua construção é de 1829, mas somente em 1848 foi iniciada a obra.
A Casa de Câmara e Cadeia segue o partido arquitetônico tradicional, ou seja, edifício isolado, tendo no pavimento térreo celas com portas e janelas dotadas de grades de ferro e um pátio central. O pavimento térreo, que hoje abriga o Museu de Armas, foi utilizado como prisão até meados do século passado. Entre 1950 e 1980 sediou a Escola Normal da Lapa e após a primeira restauração em 1981, voltou a abrigar no pavimento superior a Câmara Municipal da cidade, resgatando o uso original, fato raro no Brasil.
Em 1980 o IPHAN, com a colaboração e apoio da prefeitura municipal, realizou a restauração do imóvel, realizada em duas etapas, feitas pelos arquitetos arquitetos Cyro Corrêa de Oliveira Lyra e José La Pastina Filho. A primeira foi a remoção da cobertura e desmontagem da estrutura do telhado, demolição de forros, beirais, reconstituição da cobertura e das primitivas envasaduras, recomposição de pisos, restauração dos requadros de ensilharia, execução de instalações elétricas e hidráulicas, reconstituição da escadaria primitiva e, por fim, pintura e acabamentos.
A importância da edificação é que esta é o único exemplar de Casa de Câmara e Cadeia do Paraná. Sua arquitetura é de estilo colonial português, o prédio assobradado, isolado em terreno amplo, composição simétrica com duas portas externas – uma na fachada principal, de entrada para a cadeia, e a outra, lateral, abrindo para o hall da escada de acesso à Câmara.
Nota-se que a edificação teve função carcerária pelo gradeado das janelas, aspecto maciço das paredes de alvenaria de pedra. Sua planta é planta quadrada, dotada de um reduzido pátio interno central, guarda ainda a organização espacial do térreo, bem como, duas portas de celas originais.

Veja abaixo, algumas fotos do prédio.

(Fonte: com informações do IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.